Torneio de basquete encerrará eventos-teste para Jogos Olímpicos de 2016

Foto: Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A sequência de eventos-teste para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, será fechada, entre janeiro e maio, com 25 competições esportivas. A reta final de eventos prepatórios será aberta com o Torneio Internacional Feminino de Basquetebol, que será realizado de 15 a 17 de janeiro, na Arena Carioca 1.

A arena, localizada na Barra da Tijuca, receberá partidas envolvendo quatro seleções convidadas: Brasil, Argentina, Venezuela e Austrália. Também haverá uma partida de basquete em cadeira de rodas. O próximo evento-teste será a competição de halterofilismo, na mesma arena, entre os dias 20 e 23 de janeiro.

Os últimos eventos-teste previstos são os torneios de atletismo (de 14 a 16 de maio) e atletismo paralímpico (de 18 a 21 de maio). Um jogo do Campeonato Brasileiro, em maio de 2016, também deverá servir como evento-teste. Os Jogos Olímpicos começam pouco mais de dois meses após essa última competição, em 5 de agosto.

“O frio na barriga começou quando a gente começou a fazer os eventos-teste, porque nosso sistema realmente explora o que temos nas instalações e muitas vezes são situações que não são de fácil identificação. Mas quando nos aproximamos dos Jogos, o tempo que temos para a correção, de algum fator que seja observado, é menor”, disse Rodrigo Garcia, diretor de

vetor:freepik.com
vetor:freepik.com

Esportes do Comitê Organizador Rio 2016.

Desde agosto de 2014, quando ocorreu o primeiro evento-teste, uma regata na Baía de Guanabara, já foram realizadas 20 competições esportivas para testar as instalações olímpicas e a infraestrutura da cidade para os Jogos.

Segundo Garcia, a primeira leva de eventos objetivou testar esportes ao ar livre, como vela, ciclismo de estrada, remo e triatlo. Agora, a partir do fim deste ano, a ideia foi começar a testar as instalações olímpicas que começaram a ficar prontas.

“Todos os eventos-teste que fizemos demandaram ajustes. Não teve nenhum evento que tenha terminado 100%. Até porque esse não era o objetivo. O objetivo era realmente tentarmos identificar problemas e ajustes necessários”, acrescentou.

Ele explicou que o esporte que mais demandou ajustes, antes mesmo da realização do evento-teste, foi a competição de ciclismo BMX. “Acho que o BMX foi o evento que demandou mais alterações, principalmente na área de competição. Os atletas entenderam que a pista não estava adequada. Em cima disso, tivemos de fazer alterações drásticas no percurso, em 24 horas. Posso dizer que foi um motivo de celebração, porque percebemos que, em 24 horas, conseguimos realizar um grande trabalho”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *