Região tem destaque nas operações de crédito voltado para o agronegócio

Retrações dos financiamentos em geral, no entanto, preocupam por indicar uma diminuição dos investimentos

 

Foto: Rafael Viana / www.tdvideo.com.br
Foto: Rafael Viana / www.tdvideo.com.br

No início de abril, o Banco Central  divulgou informações de crédito referentes ao mês de janeiro de 2015. Enquanto no Brasil, as operações de crédito tiveram um crescimento de 1,2% em relação a janeiro de 2014, o município de Ribeirão Preto se destacou na modalidade com uma taxa de crescimento de 5,7% no período, como mostram os dados do Boletim Crédito CEPER/Fundace.

Na Região Administrativa de Ribeirão Preto (RARP), no mesmo período, a alta foi de 3,9%. O crescimento destacado de Ribeirão Preto e da RARP se deve, principalmente, às modalidades financiamento imobiliário e crédito voltado ao agronegócio.

Franca e SJRP – Já os municípios de São José do Rio Preto e Franca tiveram maior destaque, no período, na modalidade financiamentos imobiliário. Entretanto, na modalidade empréstimos e títulos descontados, Rio Preto registrou uma queda de 17,3%, no período considerado. Em financiamentos em geral, o decrescimento do município foi de -18,8%, o maior das regiões analisadas pelo boletim.

capa-maquina-agricula-agricultura-negócio
Foto: Ribeirão Web News

Em todas as regiões ocorreram retrações dos financiamentos em geral, o que, segundo os pesquisadores, preocupa por indicar uma retração dos investimentos, visto que nessa categoria se encontram os financiamentos de parques industriais, máquinas e equipamentos, além de bens de consumo durável.

Inadimplência – Comparando-se janeiro de 2015 com o mesmo mês de 2014, percebe-se que a inadimplência total da carteira teve uma queda significativa no período. Enquanto na de pessoas jurídicas ocorreu um aumento, a inadimplência de pessoas físicas teve uma forte retração, resultando na queda da inadimplência total.

Já se compararmos o mês de dezembro de 2014 e janeiro de 2015 podemos ver que tanto a inadimplência de pessoas físicas quanto a de pessoas jurídicas aumentaram no período.

Em relação ao endividamento das famílias (em porcentagem), percebe-se que no primeiro mês de 2015 ela chegou a 46,4%, um aumento de 0,4 pontos percentuais comparativamente ao ano de 2014. Fazendo a mesma comparação entre 2005 e janeiro de 2015, percebe-se uma grande evolução no endividamento das famílias, sendo mais de 100% a diferença.

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa FEA-USP

Divulgação : OPA Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *