Relatório da OCDE aponta dificuldades educacionais de estudantes imigrantes

Reportagem: Marieta Cazarré – Agência Brasil

Foto: Rafael Viana

Um amplo estudo realizado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) mostrou que as desvantagens socioeconômicas e as barreiras linguísticas são os maiores obstáculos ao sucesso na escola para estudantes de famílias de imigrantes. O documento é lançado em um momento no qual o fenômeno da migração atinge mais de 258 milhões de pessoas em todo o mundo.

Intitulado The Resilience of Students with an Immigrant Background: Factors that Shape Well-Being (A resiliência de estudantes de origem migrante: fatores que moldam o bem-estar, em tradução livre), mostra que as dificuldades costumam afetar particularmente os imigrantes de primeira geração – estudantes que nasceram no estrangeiro ou que têm pais nascidos no estrangeiro.

O texto aponta como os fluxos de migração estão mudando profundamente a composição das salas de aula. Os resultados do Programa da OCDE para Avaliação Internacional de Estudantes (PISA) revelam que, em 2015, quase 25% dos estudantes de 15 anos de idade nos países da OCDE eram estrangeiros ou tinham pais estrangeiros.

De acordo com a pesquisa, cerca de 50% dos alunos de origem imigrante não conseguiram atingir as habilidades acadêmicas básicas em leitura, matemática e ciências. Entre os alunos nativos, ou seja, os que não têm origem estrangeira, a proporção é de um em cada quatro.

O relatório mostrou que os estudantes imigrantes sentiam um menor senso de pertencimento na escola do que os estudantes nativos, relatavam menos satisfação e maior ansiedade relacionada com o trabalho escolar. No entanto, muitos também expressaram altos níveis de motivação para alcançar melhor desempenho.

Os alunos imigrantes são mais propensos a frequentar escolas com um pior clima disciplinar e uma maior prevalência de faltas. Além disso, são mais propensos a serem vítimas de bullying e serem tratados de forma injusta pelos professores.

Os 35 países-membros da OCDE são: Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Grécia, Islândia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Portugal, Reino Unido, Suécia, Suíça, Turquia, Alemanha, Espanha, Canadá, Estados Unidos, Japão, Finlândia, Austrália, Nova Zelândia, México, República Tcheca, Hungria, Polônia, Coreia do Sul, Eslováquia, Chile, Eslovênia, Israel, Letônia e Estônia. O Brasil não é membro, mas é um país parceiro da OCDE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *