Reflexão Semanal com Pe. Gilberto Kasper

A TORRE INFERNAL!

 

Estive relendo o episódio que conhecemos como a “Torre de Babel” e comecei a identificar alguns acontecimentos de nossos dias com fatos narrados com profunda sabedoria pelo autor sagrado. O desejo de ficar famosos, de atingir o céu, de serem os mais importantes da face da terra tem o “orgulho” como principal combustível, a avareza e a ganância como motivadoras dos projetos e o egoísmo como provocador desse tipo de ação venenosa.

 

Antropólogos afirmam que o ser humano é insaciável em seu desejo, em seu apetite, em seu querer, e se não equilibra a vontade com a real necessidade, se não refreia a vontade através do limite sadio da responsabilidade, se torna um monstro sem limites, sem respeito pelos semelhantes, sem consideração pela justiça e sem remorso pelo mal que pratica.  O desejo de ter mais riqueza e poder faz com que muitas pessoas joguem no lixo a boa formação que receberam na infância e, ao alimentar os maus desejos de riqueza e poder, ferem os princípios fundamentais da convivência humana, usam seus semelhantes como degrau da escada para chegar ao andar de cima mesmo que tenha que pisar em seus próprios pais e amigos, que não considera como tais.

 

As noticias de todos os dias nos mostram um ambiente assim, cheio de gente apanhada em situação de total desgoverno, te total apego ao dinheiro alheio e desvio de verba que poderia melhorar a saúde, a educação e as estradas do Brasil; o golpe dos empréstimos consignados mostra realmente que “o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males”. E, o jeito que a coisa vai, a água da Lava Jato não será suficiente…

 

Em um ambiente assim, não consigo ver outra coisa senão uma nova tentativa de construir uma torre de Babel, de se fazer confusão ao iludir o povo com propaganda enganosa e o que é pior, desrespeitando o povo mais sofrido desse imenso país. Na ânsia de ficar famosos, os nossos políticos usam do artificio da propaganda que não informa e sim deforma a verdade e expõe a gula de alguns que determinam a fome e a miséria de nosso povo. Não se pode aceitar que, as migalhas destinadas aos mais pobres justifiquem rombos nas contas publicas; a carga pesada de impostos faz sangrar as costas dos que pagam e não recebem o devido cuidado do estado que devia zelar principalmente pela vida de cada pessoa humana.

 

Na nova versão da torre de Babel se preserva o final igualzinho ao original, pois o egoísmo exagerado decreta a divisão, a discórdia, a inimizade, a mentira e, sobretudo a descoberta de que sem Deus e seu amor ficamos sem direção segura e a mercê do azar. Mas o que não é de Deus cai. Um dia cai!

 

O remédio para tudo isso é, sem dúvida o amor generoso e misericordioso de Deus que se mostra presente em nossas comunidades que escutam atentas a Palavra divina e que nos convoca a organizar nossa vida evitando o mal e crescendo continuamente na prática do bem.  Somente pela prática sincera do bem e da verdade se vence o mal e suas feições.

 

(Em parceria com o Pe. João Paulo Ielo Ferreira, Pároco da Paróquia Imaculada Conceição de Mogi Guaçu – SP)

 

 

Foto: Rafael Viana
Foto: Rafael Viana

Pe. Gilberto Kasper
[email protected]

Mestre em Teologia Moral, Licenciado em Filosofia e Pedagogia, Especialista em Bioética, Ética e Cidadania, Professor Universitário, Docente na Associação Faculdade de Ribeirão Preto do Grupo Educacional da UNIESP, Assistente Eclesiástico do Centro do Professorado Católico, Reitor da Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres da Arquidiocese de Ribeirão Preto e Jornalista.

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *