Projeto “Máscaras do Bem” é reconhecido internacionalmente

Estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Harvard e da Organização das Nações Unidas (ONU) mostrou a eficácia do desempenho das máscaras produzidas pelo projeto “Máscaras do Bem”, de Ribeirão Preto. Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) foram destinados para uso de profissionais da saúde e também para uso doméstico, distribuídos aos usuários do SUS e comunidades carentes da cidade.

O estudo examinou a resposta de um grupo de voluntários em Ribeirão Preto, enquanto a cidade enfrentava uma demanda sem precedentes por máscaras faciais, durante o início da crise da Covid-19, em 2020. O desempenho das máscaras artesanais foi comparado com a industrializada equivalente, uma comparação entre dois projetos paralelos que produziram máscaras descartáveis ​​para profissionais de saúde e máscaras reutilizáveis ​​para a comunidade.

O resultado do estudo será útil para comunidades que, por ventura, passem por alguma epidemia. Além disso, podem ser obtidos conhecimentos a partir das experiências em Ribeirão Preto quanto aos esforços contínuos para melhorar as respostas baseadas na comunidade para futuras emergências de saúde, bem como para o desenvolvimento de diretrizes oficiais sobre a produção artesanal de EPI.

No início do trabalho, em abril de 2020, o grupo tinha como meta a produção de 7,5 mil máscaras, mas até julho, quando o trabalho foi encerrado, foram produzidas mais de 38 mil máscaras e EPIs. A operacionalização do projeto contemplou estrutura logística, captação de recursos, doações, orçamentos, compras, transporte solidário, corte, costura, montagens dos kits, finalização, distribuição e prestação de contas.

 

Fonte: Prefeitura de Ribeirão Preto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *