O Comentário sobres os Fatos da Semana com Pe. Gilberto Kasper

O ambiente esquisito produzido pela crise política em nosso país, além de provocar insegurança, também nos faz procurar uma solução para esse impasse que não parece ter fim. A operação Lava Jato revela, isto é, tira o véu de muitas safadezas que foram produzidas há muito tempo em nossa pátria e penalizaram os mais pobres.

 

A literatura, o cinema e outras peças de ficção contam histórias de heróis que defendiam o povo das maldades de tiranos e malvados governantes sem coração. Alguns desses heróis permanecem na memória de muitos de nós. Cito um deles: Robin Hood! Lembram-se? O famoso fora da lei que virou herói por “roubar” os “nobres” pra “dar” aos “pobres”! Muito popular na Inglaterra até hoje, inspirou muitos políticos em todo o mundo a fazer tramoias desavergonhadas com base num certo “romantismo” de defender os mais fracos quando, na verdade, não os defendem. Esse tipo de herói faz justiça com uma crescente dose de violência, justificam seus atos como um processo de libertar os pobres da opressão dos ricos, embriagam as pessoas com frases emocionalmente preparadas por profissionais da propaganda que levam seus iludidos “fãs” ao acatamento cego de seus ideais de ódio aos que não pensam como eles.

 

Quando se desmonta uma cadeia de corrupção ou desvio de dinheiro destinado a obras públicas, o que se vê não é roubar ricos para dar aos pobres, mas os pobres sendo roubados milhões de vezes e tudo a partir da carga astronômica de impostos que pagamos!

 

O momento delicado pelo qual passa o mundo com o perigo dos fanáticos terroristas, a crise dos refugiados que querem entrar na Europa, a corrupção brasileira que se revela, tudo isso nos aperta contra a parede e reclama solução que não virá de um super herói que não mora entre nós. Nenhuma solução será produto de um cajado mágico agitado pelo “Mandrake” ou “Superman” da política que abrem seu baú mágico e resolvem todos os problemas. Não será assim.

 

As histórias dos super-heróis apresentam soluções mágicas, inimagináveis e que deixam o raciocínio preguiçoso. O herói traz a solução pronta… Mas, na história real que estamos vivendo, não se pode esperar nada de quem faz da política um balcão de negócios, dos que pensam em si e seus grupos mais do que no povo. Esses não são heróis e sim vilões.

 

A Justiça Social acontecerá a partir do momento em que nós assumirmos mais as questões da política, acompanharmos os que se elegem com nossos votos e que devem prestar contas do que fazem. Tratar do esgoto, cuidar da merenda, proteger a população, isso e muito mais é obrigação dos que ocupam cargo público. Eles precisam ser transparentes e sérios no ofício que desempenham.  Entretanto, graças a Deus, há muita gente que merece o cargo que ocupa e que o faz com alta dedicação, não podemos nos esquecer disso.

Se um trabalhador “perde” um dia de serviço, este lhe será descontado no final do mês. Não seria uma ideia boa usar o mesmo método com os parlamentares que recebem muito por raros dias de “serviço” ao povo?

As soluções que pretendemos virão conforme nossa participação cuidadosa e dedicada lembrando-nos do ensinamento do grande Papa Pio XII:- “a política é uma alta maneira de servir ao próximo”!

 

(Texto em parceria com o Pe. João Paulo Ferreira Ielo de Mogi Guaçu – SP)

 

Pe. Gilberto Kasper - Foto : Divulgação / k2 Imagens
Pe. Gilberto Kasper – Foto : Divulgação / k2 Imagens

Pe. Gilberto Kasper
[email protected]

Mestre em Teologia Moral, Licenciado em Filosofia e Pedagogia, Especialista em Bioética, Ética e Cidadania, Professor Universitário, Docente na Associação Faculdade de Ribeirão Preto do Grupo Educacional da UNIESP, Assistente Eclesiástico do Centro do Professorado Católico, Reitor da Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres da Arquidiocese de Ribeirão Preto e Jornalista.

One Reply to “O Comentário sobres os Fatos da Semana com Pe. Gilberto Kasper”

  1. Padre Gilberto, gosto muito dos seus comentários e este em especial afirmo que foi muito feliz, pois realmente nosso país está sofrendo muito com tanta corrupção e desgoverno. Todos acabam prejudicados, começando pelos empresários que são obrigados a dispensar funcionários ou até encerrar suas atividade; prejuízo na saúde, na educação, aumento das demandas da assistência social, que já tem poucos recursos; …. Esperamos que estes acontecimentos seja para melhorar, para nos alertar a conhecer melhor nossos governantes antes de colocá-los no poder, para nos empoderarmos de toda nossa força do bem e transformar nosso país, abençoado por Deus com o clima, terra fértil, água potável, povo trabalhador e acolhedor, para fazer do Brasil o melhor país do planeta para se viver. Que nos ajude, mas precisamos fazer a nossa parte.
    Realmente, as instituições governamentais, os políticos, assim como todo funcionalismo público está para servir o povo, principalmente, para os que dele mais precisam.
    Parabéns!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *