O Comentário Semanal do Cotidiano da Cidade com Pe. Gilberto Kasper

MOBILIDADE URBANA!

Assistimos nas últimas semanas a espetaculosos comportamentos e transferências de culpas em relação à verba federal, que deveria ser aplicada na “Mobilidade Urbana” de Ribeirão Preto. Ao lado disso, a imprensa divulgou que o Hospital da Beneficência Portuguesa deixou de atender, por falta de pagamento. A Prefeitura estaria devendo quatro meses, um valor de mais de dois milhões de reais. Ao Hospital Santa Lydia e UBSs nem nos referimos! Não seria ético e isso nem mesmo me pertence, elencar o assustador número de pessoas físicas e jurídicas que reclamam da inadimplência do Governo Municipal. Saúde, Educação e Projetos Sociais são remetidos ao “coma induzido”, engessados e simplesmente ignorados, colocando em risco o ser humano.

Foto: Rafael Viana
Foto: Rafael Viana

Dá-se mais importância a um asfalto de péssima qualidade, do que à Pessoa. À mesma Pessoa que sempre acaba pagando a conta, sem o devido retorno. Basta verificar as crateras em cada Ponto de Ônibus na cidade inteira. Há três meses recapearam a Rua Barão do Amazonas e na entrada da Sede do FAC – Fraterno Auxílio Cristão já tem um enorme buraco, como também nos demais Pontos de Ônibus, tanto no centro como nos bairros. Haja amortecedores dos veículos que batem as rodas nessa buraqueira toda. Será que os R$ 254,3 milhões do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) serão aplicados desse modo? Quem é o Ministro das Cidades para opinar sobre o estado de descuido de nossa cidade? Será que ele e a Presidente Dilma sabem da verdade? Interessante também é que se tem a impressão de que nosso Governo é “blindado”, intocável, porque tanto o Ministério Público como o Judiciário nunca encontram as irregularidades apontadas, como “crimes de responsabilidade”. A culpa nunca é de quem governa, mesmo que sua defesa geralmente cheira mal, é diabólica, porque escancaradamente mentirosa! Nem me refiro à Prefeita Municipal que aos gritos, corre de um lado para outro, demonstrando-se desesperada. Refiro-me a determinados Secretários (não todos) que a colocam em “saia justa”, pela incompetência, falta de humildade para assumir a incapacidade de dialogar com técnicos que realmente pensem no Bem Comum da cidade, que está suja e feia.

Voltando à “Mobilidade Urbana”, a Prefeitura tomou conta do Centro da Cidade geralmente com comboio de Ônibus. Ficou intransitável, a não ser que se espere com paciência e muito tempo, acompanhando o transporte público, que ali transita, porque os Ônibus nem sempre respeitam as

Foto: Rafael Viana
Foto: Rafael Viana

faixas. E os carros estacionados em Área Azul, que pagam o estacionamento, 200% mais caro (de R$ 1 a R$ 3,00) ao Governo ou são multados pela TRANSERP. Falta disciplina por parte dos cidadãos, sim! Mas forçar a diminuição do trânsito no Centro da Cidade com reajustes tão altos, porque há 17 anos não havia aumento, só castiga os mais pobres. Sempre são os menos favorecidos que pagam as contas no lugar dos mais “espertos”, lamentavelmente.

Não pretendo ofender ninguém com minha reflexão, até porque não sou engenheiro de trânsito. Minha preocupação é como cidadão comum, que se sente incomodado com o Poder Público, que deveria se comportar como SERVIDOR e não DONO da Cidade e seu Povo! Pelo que acompanhei e entendi: a maior dificuldade é “governar com maior transparência”. Não acredito que tenhamos algum Vereador contra nossa cidade. E se os Projetos, que deveriam ser realizados pelo PAC II, com supostas ilegalidades, estão realmente na Câmara de Vereadores desde 2012, o que fizeram os Vereadores, na sua maioria da Base Aliada de nossa Prefeita? Quando não se sabe quem está com a razão e quem fala a verdade ou mente, é hora de urgente conversão! O Povo deve ser mais zeloso e tratar a Cidade mais com o coração!

 

Pe. Gilberto Kasper - Foto : Divulgação / k2 Imagens
Pe. Gilberto Kasper – Foto : Divulgação / k2 Imagens

Por Pe. Gilberto Kasper
pe.kasper@gmail.com

 Mestre em Teologia Moral, Especialista em Bioética, Ética e Cidadania, Professor Universitário, Docente na Associação Faculdade de Ribeirão Preto do Grupo da UNIESP, Assistente Eclesiástico do Centro do Professorado Católico, Reitor da Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres da Arquidiocese de Ribeirão Preto, Presidente do FAC – Fraterno Auxílio Cristão e Jornalista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *