Exposição na Biblioteca Nacional destaca o trabalho de ilustradores brasileiros

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Um panorama da ilustração brasileira por alguns de seus mais destacados artistas pode ser visto até dezembro na exposição Brasil: Incontáveis Linhas, Incontáveis Histórias, aberta no início da noite de hoje (24), no Espaço Cultural Eliseu Visconti da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. Ao lado das obras do rico acervo da  própria biblioteca, como os livros de Debret e Rugendas, que influenciaram a arte da ilustração no Brasil, integram a mostra o trabalho de 55 ilustradores contemporâneos de livros para crianças e jovens.

A exposição tem curadoria da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) e da Fundação Biblioteca Nacional (FBN). O trabalho de seleção contou com o olhar especializado dos professores Graça Lima, da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Alexandre Guedes, do curso de Belas Artes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ).

As ilustrações contemporâneas que fazem parte da exposição tinham sido selecionadas originalmente para a 51ª Feira do Livro para Crianças de Bolonha, na Itália, ocorrida em março deste ano. O Brasil foi o país homenageado nessa edição da feira.

Durante o evento, o artista brasileiro Roger Melo foi agraciado com o Prêmio Hans Christian Andersen, concedido pela primeira vez a um ilustrador latino-americano. Duas autoras brasileiras, Lygia Bojunga, em 1982, e Ana Maria Machado, em 2000, já haviam recebido o prêmio, mas na

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

categoria escritor.

Por iniciativa dos ministérios da Cultura e das Relações Exteriores, a exposição foi apresentada também nas cidades de Moscou e São Petersburgo, na Rússia. No último mês de agosto, foi levada à 23ª Bienal Internacional do Livro, em São Paulo.

Além de Roger Melo, o outro grande homenageado na mostra é Ziraldo,  autor cujos livros estão presentes há décadas no imaginário de várias gerações de brasileiros. Paralelamente à exposição, a Biblioteca Nacional pretende fazer, ao longo dos próximos dois meses, mesas redondas com ilustradores, autores e especialistas em literatura infantil e juvenil brasileira.

 

Reportagem Paulo Virgílio / Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *