Comentário sobre os fatos do Cotidiano com o Teólogo – Pe. Gilbeto Kasper

CONTINUAMOS REFÉNS DE PROPAGANDAS ENGANOSAS!

Por Pe. Gilberto Kasper
pe.kasper@gmail.com
 

Aos poucos os brasileiros sentem na própria pele, o quanto as propagandas eleitorais, mais uma vez, foram enganosas. Caminhamos para o fim do primeiro mês do atual Governo, esfolados pelos impostos e outras despesas que marcam profundas cicatrizes nas finanças de cada cidadão, especialmente os que trabalham mais e ganham cada vez menos.

Ainda ressoam em nossos ouvidos, indignando nosso coração, os discursos diabólicos, porque mentirosos; de baixo nível, porque difamatórios; enganosos, porque transferindo responsabilidades daqui e dali de políticos que não sentem vergonha de subestimar a capacidade de raciocínio do povo a quem se

Vetor: freepik.com
Vetor: freepik.com

propuseram servir. Que Governo é esse, que se contradiz já no primeiro mês de (des) serviço à Nação? Sabemos que quem “paga a conta”, sempre é o povo

mais simples. A propósito, os condenados do Mensalão já ressarciram os cofres públicos, sim, porque presos pouco ficaram? Se pelo menos devolvessem o que desviaram, talvez não fosse necessário cobrar de quem trabalha arduamente por uma sobrevivência desumana, ou daqueles que trabalharam longos anos e agora são acusados de “rombos” na Previdência, simplesmente porque já não produzem mais e seu custo de vida é mais caro.

O cenário econômico, político e social não é nada favorável para o ano recém iniciado. Até agora não encontrei quem estivesse satisfeito ou esperançoso. Alguém será sacrificado, mesmo que essa governabilidade fira profundamente a dignidade de nosso povo, já tão explorado e subestimado!

 

Continuamos reféns de propagandas enganosas quando nos referimos às prestadoras de serviços de diversas naturezas. Minha repulsa chama a atenção das operadoras de telefonia, telemarketing e internet.  Desculpem-me se houver alguma honesta entre elas, mas até agora nenhuma  escapa de minha hermenêutica com relação ao desrespeito para com o consumidor. Dirão que para reclamações existem o PROCON, a JUSTIÇA DE PEQUENAS CAUSAS entre outras. A maioria do povo lesado trabalha e não tem tempo e nem paciência para seguir os procedimentos que salvaguardem seus direitos. Logo não exercem a cidadania. Quem pensa ser agradável ficar  ouvindo aquela musiquinha que transfere o consumidor de um departamento a outro por horas, é porque já não agüenta mais ser enganado. Mesmo assim, na maioria dos casos, tudo fica como está!

 

Nada me convence de que teremos de voltar às ruas, demonstrando nossa indignação. Protestar, exigindo que sejamos respeitados, respeitando, também, a ordem, a paz, até que se cumpram as promessas de resgatar a dignidade e a cidadania do povo. Oxalá encontremos líderes que organizem manifestações pacíficas e, que os escolhidos democraticamente pelo povo sirvam de verdade o povo, e não apenas se sirvam do mesmo povo. Pior do que isso é quando a maioria se sente no direito de comportar-se como Dono e não Servo do Povo!

 

Pe. Gilberto Kasper
pe.kasper@gmail.com

Mestre em Teologia Moral, Especialista em Bioética, Ética e Cidadania, Professor Universitário, Docente na

Pe. Gilberto Kasper - Foto : Divulgação / k2 Imagens
Pe. Gilberto Kasper – Foto : Divulgação / k2 Imagens

Associação Faculdade de Ribeirão Preto do Grupo da UNIESP, Assistente Eclesiástico do Centro do Professorado

Católico, Reitor da Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres da Arquidiocese de Ribeirão Preto, Presidente do FAC – Fraterno Auxílio Cristão e Jornalista.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *