Atletas de Ribeirão Preto se consagram campeões brasileiros de paratriathlon

Foto: Divulgação /  Foco Comunicação
Foto: Divulgação / Foco Comunicação

No dia 07 de novembro, os paratriatletas Danielle Nobile e Tiago Zucca, ambos apoiados pela Cia Athletica Ribeirão Preto, se consagraram campeões em suas categorias na terceira e última etapa do Campeonato Brasileiro de Paratriathlon, que aconteceu em Ilhéus, na Bahia.

Trinta atletas, de diversos Estados, superaram limites e demonstraram garra e talento, renovando as expectativas de boas participações na Paraolimpíada do Rio 2016, na estreia da modalidade como esporte paralímpico.

Tiago Zucca Mathes, campeão da categoria PT2 Masculino com 227,5 pontos, conta que a prova foi dura: “A largada aconteceu às 13h30 e estava muito quente. Fui bem, mas poderia ter me saído melhor se se não fosse o forte calor. Este foi o principal desafio”, comenta Zucca. O atleta se diz feliz com o título de campeão brasileiro e parte agora em busca da vaga para as Paraolimpíadas 2016. “Preciso de bons resultados em importantes campeonatos que ainda tem pela frente e nas etapas do mundial no ano que vem, para garantir a vaga. Esse é o meu objetivo”, explica.

Na categoria PT1 Feminino quem venceu foi Danielle Nobile com 2.35:54. Ela conta que sua maior dificuldade hoje é o equipamento que utiliza, uma handbike de ferro que pesa três vezes mais que a de alumínio e uma cadeira de atletismo que é emprestada e por isso, um pouco maior que seu tamanho. “O asfalto do local onde aconteceu a prova não estava muito bom, a bike chacoalhava muito e por isso tive muitos espasmos, que é contração involuntária do músculo. Então parei quinze vezes durante a prova de ciclismo para colocar o meu pé de volta na handbike. Mas mesmo com todas essas dificuldades deu tudo certo e a sensação de ser campeã é indescritível”, conta Danielle.

A boa notícia é que, enquanto participava da prova, sua campanha “Vem com a Dani”, para arrecadação de fundos para a compra da handbike de alumínio alcançou a meta. “Estou muito feliz. Agora preciso batalhar pela cadeira de atletismo, pois com os equipamentos adequados, consigo melhorar meu índice e batalhar pela minha participação em campeonatos importantes como o Parapan-Americano de triathlon e os mundiais em 2016”, comenta a atleta que no último final de semana, 15/11, conquistou também a medalha de ouro na 2ª etapa do Campeonato Paulista de Paratriathlon, realizada na cidade de Taubaté – SP.

Ainda de acordo com Danielle, até hoje, nenhuma mulher cadeirante brasileira participou de provas internacionais de paratriathlon. “Vai ser incrível ser a primeira mulher a participar, poder representar o país e desbravar o esporte. Estou buscando patrocínio e treinando muito para realizar este sonho”.

 

Fonte e Textos : Foco Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *