A Reflexão dos Fatos da Política com Pe. Gilberto Kasper

 O SENADO É O ESPELHO DO POVO!

Pe. Gilberto Kasper
[email protected]

 

Escrevo este artigo entre a sessão da CEI – Comissão Especial do Impeachment do Senado dos dias 2 e 7 de Junho de 2016. Consegui assistir a uma sessão que durou das 10 às 20 horas e 45 minutos, na qual a mesma Comissão deveria estabelecer o cronograma de produção de provas e julgamento do Impeachment da Presidente Afastada. O cenário circense de outras sessões se repetiu. Um elenco de chicanas forenses de dar nojo pela incoerência do nobre Dr. José Eduardo Cardozo, que tentou presidir, no lugar do Senador Raimundo Lira, o Presidente da Comissão, a sessão, desrespeitando a maioria dos Senadores. Primeiro porque o Relator, Senador Antonio Anastasia, propôs agilizar o rito e segundo porque o mesmo rejeitou a inclusão de novas provas no processo.

Lembro-me quando a Dra. Janaína Paschoal sugeriu ao Senado que discutisse todo o “Conjunto da Obra” e não somente os dois crimes de responsabilidade fiscal: pedaladas e decretos que criaram a maior crise política, econômica, ética e moral de todos os tempos em nosso País. O Senado tinha “a faca e o queijo na mão”, se refletisse também os crimes investigados pela Lava Jato e a avalanche de mentiras que nortearam a Campanha Eleitoral em 2014. Os defensores da “Presidenta” tentaram de todas as maneiras invalidar o processo, ofendendo diretamente o Congresso Nacional e não poupando o STF – Supremo Tribunal Federal que indeferiu todas as tentativas de evitar o afastamento da acusada.

Agora, porque convém à defesa, que não conseguiu êxito e não passou de sofismas ridículos, remetendo a culpa da Crise Nacional à Mundial ou a então Oposição, pede para incluir dentre os documentos de produção de provas a delação premiada do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado e gravações (premeditadas por mais um Canalha) de suas conversas com lideranças do Governo Provisório. Não é admissível que nesta fase se desvie o foco do que tanto se exigiu nas fases anteriores: os crimes de responsabilidade da Presidente. Todos os demais “corruptos, culpados ou não” não são objetos desta fase do Impeachment. Cada um deverá ter o julgamento e a tal da ampla defesa que mentirosamente o Advogado da acusada afirma ser impedido, caso não se remeta a culpa, novamente para além do PT e Coligados. José Eduardo Cardozo insiste no sofisma de que tais (recentes gravações) provas são elemento central da defesa, formulando a tese de que houve desvio de poder. Esquece de que se trata de crime de responsabilidade fiscal! E pronto!

Com educação e elegância, o Senador Raimundo Lira decidiu que o Plenário do Senado, que é soberano, votasse. E a grande maioria votou a favor das propostas do Relator, que os Petistas e Coligados quiseram destituir com frases já desgastadas e vazias de sentido. Mesmo assim o Advogado da “Presidenta” incitou seus defensores à histeria, falta de educação, ofensas e ameaças de baixo nível. Não respeitando a grande maioria do Plenário desejoso de votar pelo indeferimento dos absurdos jurídicos e das inconvenientes interferências de José Eduardo Cardozo, este decidiu mais uma vez entrar com Representações no STF – Supremo Tribunal Federal, remetendo ao Ministro Presidente Ricardo Lewandowski a decisão final.

É legítimo que o Presidente do STF decida sobre a validade ou não dessa sessão do Senado. O que ficou bizarro foi a não aceitação da grande maioria, que, aliás, tem sido uma manobra diabólica dos defensores da “Presidenta”. Retiraram-se, antes da votação, Lindbergh Farias, Gleise Hoffmann, Vanessa Graziotin, Fátima Bezerra e o próprio Advogado José Eduardo Cardozo, entre outros, aos gritos que demonstram intolerância, desrespeito, ameaças violentas e profundo desequilíbrio. Ficou patente a incapacidade da defesa. Como seria bom assistirmos mais pormenorizadamente a tais sessões, porque elas são o resultado das Urnas: O Senado é o espelho do Povo, que elegeu tais pessoas que tanto envergonham nossa Nação!

 

 

Artigo por : Pe. Gilberto Kasper
[email protected]

Mestre em Teologia Moral, Licenciado em Filosofia e Pedagogia, Especialista em Bioética, Ética e Cidadania, Professor Universitário, Docente na Associação Faculdade de Ribeirão Preto do Grupo Educacional da UNIESP, Assistente Eclesiástico do Centro do Professorado Católico, Reitor da Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres da Arquidiocese de Ribeirão Preto e Jornalista.

 

 

Fonte: O SENADO É O ESPELHO DO POVO!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *