3 Paciente morreram após Médica Nebulizar Cloroquina nestes pacientes

Três pacientes internados por conta da covid-19 faleceram após terem sido nebulizadas com hidroxicloroquina diluída. O tratamento que não tem comprovação científica foi realizado pela médica Eliane Scherer, que acabou sendo demitida. Após serem convencidos pela profissional, os pacientes assinaram um termo concordando em fazer o tratamento.

O hospital denunciou a profissional ao Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers), na última segunda-feira, por 17 supostas infrações médicas. Contratada para atuar no pronto-socorro da instituição, Eliane foi demitida no dia 10 de março.

Mesmo após a Demissão, a profissional seguiu ministrando o tratamento experimental para alguns pacientes no hospital. De acordo com o hospital, a demissão é consequência do tratamento experimental e de atritos com os outros médicos responsáveis pelos leitos clínicos e pela Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que não concordavam com os seus métodos.

Segundo informou a direção do hospital, os protocolos clínicos da instituição preveem apenas a prescrição da hidroxicloroquina pela via oral, mas Eliane passou a aplicar a técnica experimental da nebulização do fármaco diluído, o que não é previsto pelos regulamentos medicinais.

O assessor jurídico do hospital, Maurício Costa Rodrigues, disse que o fato será levado também ao Ministério Público, para que seja apurado se os falecimentos têm relação com a conduta da médica e para que sejam tomadas medidas cautelares para impedir esse tipo de prescrição.

Porém, disse que a decisão do hospital, no momento, é de não impedir o tratamento experimental com Eliane, caso as famílias expressam o desejo de realizar e assinem o termo de conciliação.

 

Presidente Jair Bolsonaro defendeu ações da médica 

O presidente Jair Bolsonaro entrou ao vivo por telefone na rádio de Camaquã-RS, para defender a médica, no programa que tratava do assunto. Na ocasião, o ministro da Secretária-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, ligou para a rádio e foi colocado no ar.

Ao Vivo o Presidente do Brasil, defendeu o procedimento da médica. Confira a fala do presidente

“Os médicos têm o direito, ou o dever, no momento em que falta o medicamento específico para aquilo, com comprovação científica, ele pode usar o que chama de off label, fora da bula”, disse o Presidente.

 

 

Fonte: Agência Brasil de Fato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *